X
X
<svg class="herion-back-to-top"><g><line x2="227.62" y1="31.28" y2="31.28"></line><polyline points="222.62 25.78 228.12 31.28 222.62 36.78"></polyline><circle cx="224.67" cy="30.94" r="30.5" transform="rotate(180 224.67 30.94) scale(1, -1) translate(0, -61)"></circle></g></svg>
luca argel

simbiose

Alfredo Português_Luca Argel

Luca Argel traz uma aula de história ao ritmo do samba

Luca Argel fala sobre Samba de Guerrilha no Diário de Notícias, PT. E, durante entrevista ao repórter Miguel Judas, o músico conta sobretudo curiosidades sobre alguns sambas regravados no novo álbum.

Ele revela, por exemplo, que a letra de Samba do Operário (Alfredo Português e Cartola) foi escrita durante o período da Ditadura de Salazar. Na obra de Luca, todavia, a canção ganhou arranjo completamente diferente do original.

Como curiosidade, vale destacar que Alfredo Português se mudou para o Brasil como contratado da Marinha Mercante Brasileira. Morou no Morro da Mangueira, no Rio de Janeiro, frequentando, assim, as rodas de samba. O caminho inverso de Luca, que atualmente leva o seu samba para Portugal.

Clique aqui e leia a reportagem na íntegra (apenas para assinantes do DN)

Álbum para ouvir e ler

O repertório passa por muitas “encarnações”. O álbum é uma compilação de sambas que marcam posição em situações difíceis enfrentadas pelos brasileiros. A concepção do trabalho foi realizado por anos, em shows, seminários e apresentações em que Luca contava à plateia as histórias dos bastidores do samba.  Antes de tudo, este é um trabalho de resistência!

“São assuntos que dizem respeito à história do samba, à história do Brasil e da política, das quais o samba foi testemunha”, conta Luca. “E eu, desde quando comecei a trabalhar com samba sempre tive muito interesse em estudar o samba; e transmitir isso às pessoas.”

RTP Play - Luca Argel

Programa ‘Peças Musicais’ recebe Luca Argel

A RTP Play convida Luca Argel para o programa ‘Peças Musicais’. Em entrevista para Ana Sofia Carvalheda, o músico fala sobre o processo de criação do novo álbum, Samba de Guerrilha.

Além disso, o catautor discorre sobre sobre a importância de se transitar pelas artes.

“Explorar esta interseção entre artes é uma atitude sempre muito fértil para qualquer trabalho artístico, a interação, a contaminação entre diferentes artes”, diz Luca. “No meu caso isso acontece especialmente entre música e literatura, entre sons e a palavra escrita ou falada. E no Samba de Guerrilha essa interseção é fundamental para o álbum acontecer, porque a maior parte dele é texto falado e não cantado. O que eu escrevi, na verdade, nesse álbum foram os textos falados”, conclui.

Por fim, Ana Sofia avalia:

Samba de Guerrilha é um disco muito especial, que parte de um conceito ainda mais especial, que é a possibilidade de se cruzar diferentes artes”.

Clique aqui e Ouça a íntegra da entrevista

Samba de Guerrilha - Observador

Samba de Guerrilha é um ‘álbum ambicioso’

Samba de Guerrilha_Oservador
Reprodução

Samba de Guerrilha é classificado como ‘um álbum ambicioso’ pela rádio Observador. No programa “Isso Não Passa na Rádio”, os apresentadores deram, sobretudo, ao novo álbum de Argel a alcunha de música de intervenção.

“Já tinha gostado muito do Bandeira, e principalmente do Conversa de Fila, registros anteriores bem mais suaves”, disse o editor da rádio, João Alexandre. “E ele aqui decidiu fazer uma coisa  bem mais… ambiciosa. E a coisa ambiciosa que ele fez foi um disco de samba ópera, um bocado inspirado naquela coisa da ópera rock”, completa.

Dessa forma, os comentários sobre Samba de Guerrilha começam a partir de 30:05.

Clique aqui e Ouça a íntegra do programa

Portugarte

Luca Argel: Samba sem medo e sem freio

Portugarte_Luca Argel
Reprodução

O site Portugarte promove um atrativo bate-papo entre Luca Argel e o jornalista João Miranda. O podcast fala sobre sambas de 130 anos com versões novas, eletrificadas e exclusivas para Samba de Guerrilha.

“Seria impossível afirmar que este é um disco qualquer, porque não é. Samba de Guerrilha“, afirma o apresentador.

Segundo João, o novo trabalho de Argel é, sobretudo, ‘um álbum conceitual, político, feito de versões de sambas que deram seu contributo para luta contra a desigualdade e contra o racismo no Brasil’.

Clique aqui e ouça a íntegra da entrevista

Além disso, o Portugarte classifica Samba de Guerrilha como ‘um dos melhores álbuns do ano’.

CLIQUE E COMPRE AQUI O SAMBA DE GUERRILHA

Samba de Guerrilha_Revista-Visão

Uma ópera samba em três atos

Samba de Guerrilha_Revista-Visão
Reprodução

Samba de Guerrilha ganha análise elogiosa do colunista Miguel Judas na Revista Visão.

O texto cita as versões arrojadas e inovadoras dos clássicos do samba e destaca a forma de narrativa, costurada por textos que indicam o contexto em que cada samba foi escrito. Além disso, destaca o quanto as velhas questões dos tempos coloniais continuam a se refletir e a condicionar a vida de milhões de pessoas.

“As faixas são antecedidas por uma narração que contextualiza histórica e socialmente cada momento – na voz da rapper luso-angolana Telma Tvon. O contraste entre a voz que canta, de um homem branco brasileiro, e e a que conta, de uma mulher negra e africana é ‘bastante simbólico’, além de resultar muito bem”, avalia o colunista.

Ópera por analogia

Segundo o jornalista,  Samba de Guerrilha foi pensado sobretudo como “uma ópera samba dividida em três atos, através da qual se conta a História do Brasil”.

“Música e literatura cruzam-se nesta “ópera samba”, criada pelo artista carioca”, decreta o colunista.

Clique e Veja o artigo na íntegra

Enfim… A história!

A princípio criado para ser um show, o repertório de Samba de Guerrilha ganhou novos rumos!

Lançado no último mês de fevereiro, o álbum conceitual de regravações está disponível nas plataformas online e, fisicamente, em formato de jornal. Além disso, traz saborosos clássicos do samba em uma narrativa com arranjos reinventados, eletrificados e suingados.

COMPRE E OUÇA SAMBA DE GUERRILHA

Luca Argel_Look

À Conversa com Luca Argel

Luca Argel_LookMag
Reprodução

À Conversa recebe o cantor e compositor Luca Argel . No programa, o cantautor conta como se apaixonou pela cidade do Porto, que escolheu como residência há quase dez anos.

Durante a conversa com Sandra Pinto, ele também fala sobre sua admiração por artistas brasileiros, como Aldir Blanc e Elis Regina. Além disso, explica a escolha do nome do seu novo álbum, Samba de Guerrilha.

Clique aqui e Veja a entrevista completa

 

Samba_Almanaque

Samba é brincadeira levada a sério

Samba _ Almanaque
Reprodução

Samba de Guerrilha é destaque em entrevista de Luca Argel para a jornalista Monica Bittencourt no programa Almanaque Carioca, da Rádio Roquette Pinto, RJ.

COMPRE E OUÇA SAMBA DE GUERRILHA

A princípio, Luca contou como o batuque deixou de ser uma brincadeira de fim de semana para se tornar uma carreira.

“Era só uma brincadeira de fim de semana que acabou ficando séria e se tornando no grupo ‘Samba Sem Fronteiras’, de que eu faço parte e onde trabalho até hoje… e que também só existe porque o público português abraçou muito a ideia”, conta.

Por fim, a descontraída conversa não poderia terminar de outra maneira senão com muita música boa. Confiram!

OUÇA ABAIXO A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA:
Batatinha_Anota Bahia

Samba de Guerrilha homenageia compositor baiano

Batatinha _ Anota Bahia
Reprodução

“É proibido sonhar… Então me deixe o direito de sambar”. O verso, forte, é da música Direito de Sambar, do compositor baiano Oscar da Penha, mais conhecido como Batatinha. A música conta a história de um sambista proibido de desfilar em sua escola. Mas ao mesmo tempo pode ser interpretada como um paralelo à opressão ao samba e à cultura negra, no Brasil.

“Os primeiros versos deste samba de Batatinha são um resumo da história do Brasil em dez palavras: “É proibido sonhar, então me deixe o direito de sambar”, conta o cantautor Luca Argel.

Batatinha é considerado um dos maiores compositores da Bahia e também é um dos preferidos de Luca.

“Fui eu mesmo que gravei quase todos os instrumentos do álbum, mas confesso que tive muita dificuldade em fazer o arranjo para esta música. Minha primeira ideia foi criar uma versão em blues, mas acabou não dando certo. Daí pedi ajuda ao Carlos César Motta, que criou e gravou toda a seção de percussões, o que deu o corpo que eu procuravapara esta nova versão”, conta.

Clique aqui e leia a matéria na íntegra

Enfim… A história!

A princípio criado para ser um show, o repertório de Samba de Guerrilha ganhou novos rumos!

Lançado no último mês de fevereiro, o álbum conceitual de regravações está disponível nas plataformas online e, fisicamente, em formato de jornal. Além disso, traz saborosos clássicos do samba em uma narrativa com arranjos reinventados, eletrificados e suingados.

Samba de Guerrilha é, sobretudo, um trabalho de pesquisa. Luca faz um grande ‘apanhado’ de grandes clássicos do samba que contam parte da história do Brasil. A princípio, o repertório foi criado apenas para um show. Mas, na verdade, isso apenas se transformou num ‘insight’ para o nascimento de uma obra histórica.

A edição dos textos e letras do Jornal Samba de Guerrilha – com ilustrações de José Feitor -, inclui código para download do álbum completo.

COMPRE E OUÇA SAMBA DE GUERRILHA

Samba de Guerrilha_Cartaz

Samba de Guerrilha: Um disco que é um jornal

Samba de Guerrilha_Cartaz
Reprodução

O álbum Samba de Guerrilha é destaque do Cartaz, exibido pela SIC nos dias 20 e 21 de fevereiro. O programa evidencia, sobretudo, o novo lançamento de Luca Argel.

“Como é um álbum que tem muito texto, que tem muita narração, e em que as letras das músicas são muito importantes, a gente escolheu um suporte que desse prioridade, que desse o espaço de destaque principal às palavras”, explica, portanto, o cantautor.

Além disso, o programa da SIC Notícias também destaca o ótimo cassete lançado pelo trio Too Many Suns.

Clique e Veja a entrevista do dia 20/02/2021

Clique e Veja a entrevista do dia 22/02/2021

Vale lembrar que Samba de Guerrilha é um álbum lançado em formato digital bem como um jornal ilustrado. Em tempos de pandemia do Covid-19, a obra é vendida via on-line.

COMPRE AQUI