X

Miguel Judas

Alfredo Português_Luca Argel

Luca Argel traz uma aula de história ao ritmo do samba

Luca Argel fala sobre Samba de Guerrilha no Di√°rio de Not√≠cias, PT. E, durante entrevista ao rep√≥rter Miguel Judas, o m√ļsico conta sobretudo curiosidades sobre alguns sambas regravados no novo √°lbum.

Ele revela, por exemplo, que a letra de Samba do Operário (Alfredo Português e Cartola) foi escrita durante o período da Ditadura de Salazar. Na obra de Luca, todavia, a canção ganhou arranjo completamente diferente do original.

Como curiosidade, vale destacar que Alfredo Português se mudou para o Brasil como contratado da Marinha Mercante Brasileira. Morou no Morro da Mangueira, no Rio de Janeiro, frequentando, assim, as rodas de samba. O caminho inverso de Luca, que atualmente leva o seu samba para Portugal.

Clique aqui e leia a reportagem na íntegra (apenas para assinantes do DN)

√Ālbum para ouvir e ler

O repert√≥rio passa por muitas ‚Äúencarna√ß√Ķes‚ÄĚ. O √°lbum √© uma compila√ß√£o de sambas que marcam posi√ß√£o em situa√ß√Ķes dif√≠ceis enfrentadas pelos brasileiros. A concep√ß√£o do trabalho foi realizado por anos, em shows, semin√°rios e apresenta√ß√Ķes em que Luca contava √† plateia as hist√≥rias dos bastidores do samba.¬† Antes de tudo, este √© um trabalho de resist√™ncia!

‚ÄúS√£o assuntos que dizem respeito √† hist√≥ria do samba, √† hist√≥ria do Brasil e da pol√≠tica, das quais o samba foi testemunha”, conta Luca. “E eu, desde quando comecei a trabalhar com samba sempre tive muito interesse em estudar o samba; e transmitir isso √†s pessoas.‚ÄĚ

Samba de Guerrilha_Revista-Vis√£o

Uma ópera samba em três atos

Samba de Guerrilha_Revista-Vis√£o
Reprodução

Samba de Guerrilha ganha an√°lise elogiosa do colunista Miguel Judas na Revista Vis√£o.

O texto cita as vers√Ķes arrojadas e inovadoras dos cl√°ssicos do samba e destaca a forma de narrativa, costurada por textos que indicam o contexto em que cada samba foi escrito. Al√©m disso, destaca o quanto as velhas quest√Ķes dos tempos coloniais continuam a se refletir e a condicionar a vida de milh√Ķes de pessoas.

“As faixas s√£o antecedidas por uma narra√ß√£o que contextualiza hist√≥rica e socialmente cada momento – na voz da rapper luso-angolana Telma Tvon. O contraste entre a voz que canta, de um homem branco brasileiro, e e a que conta, de uma mulher negra e africana √© ‘bastante simb√≥lico’, al√©m de resultar muito bem”, avalia o colunista.

√ďpera por analogia

Segundo o jornalista,¬† Samba de Guerrilha foi pensado sobretudo como ‚Äúuma √≥pera samba dividida em tr√™s atos, atrav√©s da qual se conta a Hist√≥ria do Brasil”.

“M√ļsica e literatura cruzam-se nesta ‚Äú√≥pera samba‚ÄĚ, criada pelo artista carioca”, decreta o colunista.

Clique e Veja o artigo na íntegra

Enfim… A hist√≥ria!

A princípio criado para ser um show, o repertório de Samba de Guerrilha ganhou novos rumos!

Lan√ßado no √ļltimo m√™s de fevereiro,¬†o √°lbum conceitual de regrava√ß√Ķes est√° dispon√≠vel nas plataformas online e, fisicamente, em formato de jornal. Al√©m disso, traz saborosos cl√°ssicos do samba em uma narrativa com arranjos reinventados, eletrificados e suingados.

COMPRE E OUÇA SAMBA DE GUERRILHA