X
X
luca argel

entrevista

Ultraverso _ Samba de Guerrilha

Samba de Guerrilha é uma aula moderna de história do Brasil

Ultraverso_Samba de Guerrilha
Reprodução

Luca Argel conversa com o portal Ultraverso para explicar o universo de criação de seu mais recente disco, o Samba de Guerrilha.

No bate-papo descontraído, o cantor e compositor brasileiro, radicado há quase dez anos no Porto, em Portugal,  avalia como as questões da época da escravidão ainda influenciam a forma de viver e de pensar dos brasileiros.

“Quando a gente ouve samba a gente reconhece nas letras a presença destes mesmos problemas sociais: desigualdade, pobreza, racismo, perseguição”, conta.

Confira abaixo a entrevista exclusiva

Revelações

Analogamente, Luca revela ao Ultraverso que o repertório do álbum foi criado apenas para um show na Associação Cultural no Porto.

“Estávamos bem ali no meio do processo do golpe contra a Dilma (Roussef). Fizeram uma semana para falar sobre o Brasil e me convidaram para me apresentar. E foi aí que tive a ideia de uma espécie de workshow, em que eu tocava sambas políticos e ia contando a história do samba, misturada à história do Brasil. Percorria todo o século XX, desde a abolição até Michel Temer“, explica.

Clique aqui e confira a matéria completa no site

Enfim… A história!

A princípio criado para ser um show, o repertório de Samba de Guerrilha ganhou novos rumos!

Lançado no último mês de fevereiro, o álbum conceitual de regravações está disponível nas plataformas online e, fisicamente, em formato de jornal. Além disso, traz saborosos clássicos do samba em uma narrativa com arranjos reinventados, eletrificados e suingados.

COMPRE E OUÇA SAMBA DE GUERRILHA

Alfredo Português_Luca Argel

Luca Argel traz uma aula de história ao ritmo do samba

Luca Argel fala sobre Samba de Guerrilha no Diário de Notícias, PT. E, durante entrevista ao repórter Miguel Judas, o músico conta sobretudo curiosidades sobre alguns sambas regravados no novo álbum.

Ele revela, por exemplo, que a letra de Samba do Operário (Alfredo Português e Cartola) foi escrita durante o período da Ditadura de Salazar. Na obra de Luca, todavia, a canção ganhou arranjo completamente diferente do original.

Como curiosidade, vale destacar que Alfredo Português se mudou para o Brasil como contratado da Marinha Mercante Brasileira. Morou no Morro da Mangueira, no Rio de Janeiro, frequentando, assim, as rodas de samba. O caminho inverso de Luca, que atualmente leva o seu samba para Portugal.

Clique aqui e leia a reportagem na íntegra (apenas para assinantes do DN)

Álbum para ouvir e ler

O repertório passa por muitas “encarnações”. O álbum é uma compilação de sambas que marcam posição em situações difíceis enfrentadas pelos brasileiros. A concepção do trabalho foi realizado por anos, em shows, seminários e apresentações em que Luca contava à plateia as histórias dos bastidores do samba.  Antes de tudo, este é um trabalho de resistência!

“São assuntos que dizem respeito à história do samba, à história do Brasil e da política, das quais o samba foi testemunha”, conta Luca. “E eu, desde quando comecei a trabalhar com samba sempre tive muito interesse em estudar o samba; e transmitir isso às pessoas.”

RTP Play - Luca Argel

Programa ‘Peças Musicais’ recebe Luca Argel

A RTP Play convida Luca Argel para o programa ‘Peças Musicais’. Em entrevista para Ana Sofia Carvalheda, o músico fala sobre o processo de criação do novo álbum, Samba de Guerrilha.

Além disso, o catautor discorre sobre sobre a importância de se transitar pelas artes.

“Explorar esta interseção entre artes é uma atitude sempre muito fértil para qualquer trabalho artístico, a interação, a contaminação entre diferentes artes”, diz Luca. “No meu caso isso acontece especialmente entre música e literatura, entre sons e a palavra escrita ou falada. E no Samba de Guerrilha essa interseção é fundamental para o álbum acontecer, porque a maior parte dele é texto falado e não cantado. O que eu escrevi, na verdade, nesse álbum foram os textos falados”, conclui.

Por fim, Ana Sofia avalia:

Samba de Guerrilha é um disco muito especial, que parte de um conceito ainda mais especial, que é a possibilidade de se cruzar diferentes artes”.

Clique aqui e Ouça a íntegra da entrevista

Luca Argel_Sem Censura

TV Cultura em Belém do Pará destaca o trabalho de Luca Argel

Luca Argel _ TV Cultura
Reprodução

O cantor e compositor Luca Argel foi o entrevistado do programa Sem Censura, da TV Cultura, em Belém do Pará. Durante a conversa com a apresentadora Vanessa Vasconcellos, Luca contou como é levar a música brasileira para Portugal. Falou sobre o início da caminhada com o grupo Samba Sem Fronteiras e, sobretudo, como construiu, aos poucos, sua carreira solo.

Luca Argel _ TV Cultura
Reprodução

“No início tocava mais o repertório tradicional do samba, dos compositores de samba antigos que a gente admira e com o tempo a gente foi adicionando, nas nossas rodas, as nossas próprias composições. E depois acabei fazendo a mesma coisa no meu trabalho solo”, explicou Luca Argel.

“Até esse ano de 2021, meu trabalho solo era totalmente autoral. E esse ano eu lanço meu primeiro álbum com versões de sambas que eu gosto muito e para os quais escrevi arranjos diferentes”.

Samba de Guerrilha conta a história política do samba, falando sobre preconceito que sofreu desde a época da escravidão, até se firmar como um elemento importante de identidade nacional na cultura brasileira. As músicas ilustram o formato de show que transformou-se no álbum.

CLIQUE, OUÇA E COMPRE SAMBA DE GUERRILHA

Veja abaixo a íntegra da entrevista

Enfim… A história!

A princípio criado para ser um show, o repertório de Samba de Guerrilha ganhou novos rumos!

Lançado no último mês de fevereiro, o álbum conceitual de regravações está disponível nas plataformas online e, fisicamente, em formato de jornal. Além disso, traz saborosos clássicos do samba em uma narrativa com arranjos reinventados, eletrificados e suingados.

Samba de Guerrilha é, sobretudo, um trabalho de pesquisa. Luca faz um grande ‘apanhado’ de grandes clássicos do samba que contam parte da história do Brasil. A princípio, o repertório foi criado apenas para um show. Mas, na verdade, isso apenas se transformou num ‘insight’ para o nascimento de uma obra histórica.

A edição dos textos e letras do Jornal Samba de Guerrilha – com ilustrações de José Feitor -, inclui código para download do álbum completo.

COMPRE E OUÇA SAMBA DE GUERRILHA

Luca Argel_Correio da Manhã

Luca Argel: O embaixador involuntário do samba em Portugal

Luca Argel - Correio da Manhã

Luca Argel foi promovido pelo jornal ‘Correio da Manhã’ a embaixador do samba.

Na entrevista, ao repórter Affonso Nunes destaca a difusão da música popular brasileira em Portugal. Em suma, Luca conta como a fixação de moradia no Porto fez aflorar seu interesse pelo samba e suas histórias.

O cantor, que é carioca, foi morar no Porto, há oito anos para estudar e de lá nunca mais saiu. Ao contrário: enraizou-se na cidade e integra hoje os grupos Samba Sem Fronteiras e Orquestra Bamba Social.

“Aqui há muita curiosidade dos portugueses pela música brasileira, e pelo samba em particular. Isso fez com que eu me aprofundasse mais no gênero”, explica.

Dessa forma, além dos trabalhos em conjunto com os grupos de samba, construiu uma carreira solo, que já rendeu três álbuns.

Samba de Guerrilha

Na entrevista Luca também fala sobre os dois últimos singles lançados. Almirante Negro (O Mestre Sala dos Mares) e Pesadelo já estão disponíveis em todas plataformas streaming. As músicas fazem parte do novo trabalho Samba de Guerrilha, lançado em fevereiro de 2021.

“O samba é, desde suas origens, um canto de resistência. Para explicar melhor aos portugueses seu significado para nós, montei um espetáculo com canções que contam não só a história do gênero, mas também a história brasileira e as lutas de nosso povo”, explica.

Visão Se7e classifica “Conversa de Fila” como ‘álbum de doce samba’

Conversa de Fila

A coluna Visão Sete, do Portal Sapo, de Portugal, classifica Conversa de Fila como  um álbum ‘leve e informal’. Além disso, a matéria destaca que o terceiro disco autoral de Luca Argel traz uma uma “profundidade escondida, que se revela a cada nota e a cada verso”.

Clique e confira a matéria na íntegra

 

Luca Argel: “O samba tem muito um lado cronista, de crítica e piada”

Luca Argel-Ipsilon

Em entrevista ao Público.pt, Luca Argel fala sobre cada uma de suas faixas do álbum Conversa de Fila, lançado em 2019. Em uma ótima conversa com o jornalista Nuno Pacheco, ele conta onde vai buscar a  inspiração para suas composições:

“Vem muito do dia-a-dia, é onde eu vou buscar essas pérolas”, diz Luca Argel ao PÚBLICO. “São coisas que ouço, tomo nota e depois transformo em canções. Este Conversa de Fila, de todos os trabalhos que já fiz, é o mais voltado para o humor.”

Dias de roqueiro

O bate papo recuou até a antiga banda de rock na escola e os ídolos de todos os tempos:

“Gostava muito de Led Zeppelin, e ainda gosto. Além deles, Beatles, Pink Floyd, eram as coisas que a gente gostava de ouvir. Só depois me comecei a apropriar um pouco do universo na música brasileira, foi um pouco tardio. Comecei a descobrir tudo do Chico Buarque, do Caetano Veloso, do Gilberto Gil” , surpreende Luca.

Luca também sobre a inspiração para escrever um dos maiores sucessos de Conversa de Fila, a música samba-invertido: a política brasileira:

“Acho que é a música mais surreal que eu já escrevi, mas ela teve uma inspiração muito concreta, que foi a votação em 2016 do impeachment da Dilma (Rousseff), no Brasil. Na sessão da câmara dos deputados, onde a gente via deputados com processos de corrupção até ao último fio do cabelo votando a favor do impeachment. Tudo ao contrário, foi surreal assistir àquela cena”.

Clique e confira a entrevista na íntegra